AGU faz força-tarefa para monitorar judicialização do Enem

Este ano pode haver demanda por causa de restrições da pandemia

Publicado em sexta-feira, 8 Janeiro, 2021 - 19:25 Por Gésio Passos - Brasília

Começou nesta sexta-feira uma força-tarefa da Advocacia-Geral da União (AGU) para monitorara processos judiciais relacionados ao Enem.

O grupo vai atuar em todos estados do país, contando ao todo com 75 procuradores federais, disponíveis 24 horas por dia para garantir a realização do exame. A força-tarefa vai até o dia da última prova, 7 de fevereiro.

A procuradora federal Mônica Kouri de Oliveira, coordenadora da Equipe Nacional Especializada em Educação, afirma que os procuradores são destacados para garantir a segurança jurídica do Enem.

As demandas mais frequentes relacionadas ao exame são sobre locais de prova, alteração de dados e pagamento do boleto de inscrição.

Mas, com a segunda onda da pandemia, novas medidas de restrições adotadas por estado e municípios podem afetar a realização das provas. A procuradora Mônica Kouri afirma que, caso isto ocorra, vai ser analisado de acordo com a situação sanitária.

O Inep, órgão do MEC responsável pelo Enem, preparou medidas para evitar contaminação pela Covid-19 durante a prova. Houve um aumento do distanciamento entre os candidatos no dia do exame, e a ampliação em 20% do número de salas onde serão aplicadas as provas. O uso da máscara será obrigatório. Também será disponibilizado álcool em gel em todas as salas.                                                                

As provas impressas do Enem ocorrerão nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. As provas digitais, uma inovação deste ano, serão no dia 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Os candidatos com sintomas ou contaminados pela Covid ou outra doença infectocontagiosa poderão solicitar a reaplicação do exame, que será nos dias 24 e 25 de fevereiro. O pedido deve ser feito na página do Enem na internet ou no telefone 0800-616161.

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas e a União Nacional dos Estudantes, em nota, nessa quinta-feira, defenderam um novo adiamento da data do Enem alegando falta de segurança para a realização da prova neste momento de pandemia.  Mais de 5,7 milhões de pessoas se inscreveram para a edição 2020 do Enem.                                             

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Educação

Niterói classifica educação como atividade essencial

Com isso, escolas poderão funcionar e ano letivo deve começar em março. Atualmente, a cidade está no nível amarelo de controle da covid-19, o que significa que até o ensino fundamental pode retornar às aulas presenciais. O secretário de Educação disse que, no entanto, ainda não há decisão para reabertura imediata das escolas.

Baixar arquivo
Geral

Em Sergipe, prefeito deve responder por tomar vacina contra a covid-19

Prefeito do interior do estado de Sergipe poderá responder por ter tomado a vacina contra a covid-19 sem fazer parte dos grupos prioritários. 

Os detalhes com Pedro Ramos, da Rádio UFS FM de Aracaju. 

Baixar arquivo
Geral

INSS suspende atendimento do PREVBarco a comunidades do Amazonas

Com o agravamento da pandemia no Amazonas, o INSS resolveu suspender as missões dos chamados PREVBarcos, que são Unidades Móveis Flutuantes de atendimento à população ribeirinha e trabalhadores rurais.

Baixar arquivo
Justiça

Governo do AM terá que prestar informações sobre falta de oxigênio

Nessa terça-feira (19), a justiça determinou que o governo  do Amazonas devolva,  em 48 horas, 155 cilindros de oxigênio reabastecidos ao município de Coari. Em caso de descumprimento, a multa pode chegar até R$10 milhões.

Baixar arquivo
Saúde

Cuidados contra a covid-19 devem ser mantidos mesmo após vacina

A vacina contra a covid-19 começou a ser aplicada em todo o país. E junto com as doses, surgem algumas dúvidas: Os hábitos da população devem mudar após o início da vacinação? Quem já tomou a vacina pode transmitir o vírus? Em entrevista à Rádio Nacional, o diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia do Distrito Federal, David Urbaez, explicou quais são os cuidados que devemos tomar.  

Baixar arquivo