Mandetta: vacina é imprescindível para barrar disseminação do sarampo

Alerta foi feito durante congresso em São Paulo

Publicado em 05/07/2019 - 21:01 Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil - São Paulo

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez um alerta hoje (5) sobre a importância da vacinação para barrar a disseminação de enfermidades como sarampo e caxumba. Ele classificou como “imprescindível” a imunização contra doenças contagiosas que já possuem vacina. 

“É preciso que as pessoas tomem, cada um, sua responsabilidade para a gente não ver voltar doenças que nós temos todo o controle, toda a sabedoria da ciência por trás para fazer o controle”, disse, após participar do Congresso da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, na capital paulista.                                                                                                            

São Paulo

De acordo com o ministro, o estado de São Paulo, onde foi registrado aumento no número de casos de sarampo, solicitou, na última semana, 3 milhões de doses da vacina contra a doença. 

Dados da secretaria de saúde mostram que os casos da doença no estado aumentaram de 51, até o início de junho, para 206, até o início de julho – uma elevação de 304%. A maioria (137) ocorreu na capital.

A secretaria anunciou que vai ampliar a imunização para outros cinco municípios da Grande São Paulo – Guarulhos, Osasco, São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul – onde há circulação do vírus. As campanhas devem ocorrer a partir de 11 de julho.

A imunização será feita em jovens com idade entre 15 e 29 anos, considerados mais vulneráveis a infecções devido a menor procura pela segunda dose da vacina. No dia 20 de julho, ocorrerá o Dia D de imunização.

Na cidade de São Paulo, a campanha já está em curso desde 10 de junho, com a meta de vacinar 2,9 milhões de jovens. Até 1º de julho, a capital paulista havia imunizado cerca de 47 mil pessoas.

Saiba mais na TV Brasil: Campanha contra o sarampo pretende imunizar 2,9 milhões em SP

Caxumba: muitos adultos não estão imunes

Edição: Paula Laboissière

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Usuários de transporte público e motoristas de ônibus utilizam máscaras de proteção contra covid-19 na rua da Consolação
Economia

Setor de serviços cresce 5% de maio para junho, diz IBGE

Os efeitos negativos da covid-19 provocou uma retração de 18,6% no período de março a maio. Em fevereiro, mesmo antes da pandemia, o setor já havia recuado 1%.

A presidente do Conselho do Programa Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro, durante o Lançamento do projeto Arrecadação Solidária contra o coronavírus
Política

Primeira-dama Michelle lamenta falecimento da avó por covid-19

Maria Aparecida foi internada no dia 1º de julho no Hospital Regional de Ceilândia e chegou a ser encaminhada para a Unidade de Tratamento Intensivo. Ela faleceu na madrugada de ontem.

Sede da Polícia Federal em Brasília
Geral

PF cumpre 36 mandados de prisão em oito estados e no DF

Valor das contratações suspeitas de irregularidades em Roraima chega a R$ 50 milhões. Dinheiro foi utilizado na aquisição de insumos médico-hospitalares básicos para combate à covid-19.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, participa do programa Voz do Brasil.
Política

Governo regulamenta serviços de retransmissão de rádio

“Iniciativa do governo federal e do Ministério das Comunicações para levar emprego aos estados do Mato Grosso, TO, AM, PA, AP, AC, RO e MA”, diz ministro.

Aplicativo Caixa Tem
Economia

Caixa libera saque de auxílio emergencial para 4 milhões de pessoas

O crédito na poupança social para os beneficiários nascidos em maio foi feito no dia 5 deste mês.

vacina, Moderna, imagem ilustrativa
Internacional

Argentina e México vão produzir vacina da Oxford

Entrega é prevista a partir da primeira metade de 2021, em função dos resultados dos estudos da Fase 3 de testes e das aprovações regulatórias. Brasil também firmou acordo com a AstraZeneca.