Barroso e Fux evitam falar sobre desmembramento da votação do impeachment

Publicado em 02/09/2016 - 18:40 Por Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e Luiz Fux evitaram comentar hoje (2) o desmembramento da votação do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. O tribunal foi acionado contra a decisão do Senado Federal, de quarta-feira (31), que, apesar de afastá-la, manteve Dilma habilitada para cargos públicos e eleições.

Um mandado de segurança movido por partidos políticos questiona a votação da habilitação da ex-presidenta, mesmo que o ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Casa, tenha autorizado o fatiamento para apreciação dos senadores. O autor é o senador Álvaro Dias (PV-PR). Não está definido o prazo para que o recurso seja analisado pelo pleno da instituição.

“A matéria está judicializada, há ações no Supremo, salvo engano, com a ministra Rosa [Weber], algumas com Teori Zavascki e, evidentemente, não posso me manifestar previamente”, declarou, em evento da Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio. Ontem (1º), mesmo na mesma condição, o ministro do STF Gilmar Mendes disse que a decisão do Senado era “bizarra”.

Perguntado se a análise do fatiamento pelo STF era conveniente, por já ter sido objeto no Senado, Barroso disse que “como regra cabe em uma democracia a interpretação do sentido e alcance da Constituição”. “Agora, o quanto de auto-contenção ou pró-atividade um tribunal deve ter [ao analisar o fato], varia em função de cada matéria”, disse.

O ministro Luiz Fux, que participou do mesmo evento, seguiu na mesma linha e disse que a Constituição permite ao STF apreciar questões da política, “quando essas questões políticas são decididas com violação aos princípios inerentes ao Estado democrático de direito”.

“Você pode ter duas posições distintas: você pode ter uma posição que prestigia a autonomia do parlamento para decidir da forma como decidiu ou entender que houve um erro de julgamento, portanto, que aquela apenação deveria seguir imediatamente após a conclusão do voto, com força da redação da Constituição, que é diferente da redação da Lei 1.059 [do Impeachment]”, declarou. Na antiga lei, explicou, “havia realmente uma quesitação saparada”.

O ministro, no entanto, preferiu não dar sua opinião sobre o tema em si. “Isso vai ser objeto de julgamento e aí, pode -se entender, em primeiro lugar, que foi uma vontade do parlamento aquela decisão ou que houve realmente uma violação constitucional”, disse. “Eu não gostaria de me pronunciar sobre como vai decidir antes do julgamento”.

Matéria atualizada para correção de informação

Edição: Fábio Massalli

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
.coronavírus, pandemia, Covid-19
Saúde

Secretário adianta pontos da estratégia de vacinação para covid-19

Secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia, disse que está sendo feito o mesmo cálculo usado na vacinação contra influenza: cerca de 100 milhões de doses.

Palmeiras x Corinthians, Paulistão
Esportes

Corinthians e Palmeiras disputam hegemonia em finais do Paulistão

Decisão do título começa hoje (5) com o primeiro jogo no Itaquerão, às 21h30. Rivais estão empatados em número de vitórias em seis finais do estadual. 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fala durante a solenidade de Posse dos ministros  das Comunicações e da Ciência, Tecnologia e Inovações
Política

Bolsonaro diz a embaixador que Brasil vai ajudar o povo libanês

“O Brasil está solidário e manifestamos esse sentimento ao povo libanês. Estaremos presentes nessa ajuda àquele povo que tem alguns milhões de seus dentro do nosso país”, disse o presidente.

 A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional se apresenta no Hospital da Criança de Brasília como parte do projeto Concertos da Saúde.
Geral

Orquestra Sinfônica de São Paulo e Masp apresentam série de concertos

Concertos vão combinar arte e música no auditório do Masp. Live será transmitida a partir das 20h no YouTube.

Austrália fecha fronteira estadual pela 1ª vez em 100 anos para deter coronavírus. Na foto, pessoas com trajes de proteção em Melbourne, Austrália
Internacional

Com aumento de mortes por covid-19, Austrália terá mais restrições

Segundo estado mais populoso da Austrália, Vitoria relatou crescimento recorde de 725 novos casos de covid-19, apesar de ter restabelecido o lockdown em Melbourne, a capital.

Teletrabalho, home office ou trabalho remoto.
Economia

Serviço público tem mais pessoal em trabalho remoto que setor privado

Resultados da pesquisa evidenciam desigualdade com números gerais de trabalho remoto no país com recortes também por idade, gênero, raça/cor e escolaridade, diz o Ipea.